quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Pra que mais?

*

Tá bom aqui, amor, não precisamos sair. Eu não tenho fome, não tenho frio, não tenho medo. Não o suficiente pra me desvencilhar do seu abraço.

Pra que sair, amor? Pra onde vamos se juntos aqui voamos tão longe? O nosso papo nos conduz a lugares nunca habitados, o nosso amor sempre me dá a conhecer algum país sem nome, uma mata virgem, um céu nunca visto. Eu não quero flashes, nem praias, aventuras. Não assim, como desejo seu abraço.

Não há surpresa maior que a menor das descobertas que faço toda vez que estou te ouvindo. Não há lugar ou cultura, cores ou sabores que me interesse mais que as coisas que compõem o seu mundo, amor. Eu não ligo, não mando e-mail, eu não clico, não quero. Só preciso ir pra você, ouvir a música que você toca, aquela que a gente cantarola a tarde toda, que você ensina sem pressa, nota por nota, aquela que a gente já sabe de cor.

Deixa ficar, amor, assim como a gente está. Onde e como não faz diferença, eu gosto mesmo é de me aninhar no seu abraço.


*

2 comentários:

Juntinho&Misturado disse...

Filosofouu!!! linda!!

Bruno disse...

Daquele país sem nome, sentido falta de você!