segunda-feira, 16 de abril de 2012

A única forma


*


Não foi só para agradar,
manter as pessoas por perto
ou receber aplausos.


Não se deu quando fui preterida.
Tampouco porque desistiram de mim,
ou desafiaram-me dizendo que eu não tinha mais jeito,
nem porque aprendi alguma “lição” com as dores da vida.


Não foi para tornar-me a mulher perfeita e assim, mais segura.
Não foi porque alguém mais experiente me ensinou,
nem por um amor, pelo qual julgaria digno tornar-me melhor.
Não foi para mantê-lo, negociando dessa forma, minhas convicções.




Foi porque desisti da guerra inútil
que é adequar as pessoas às minhas necessidades
Foi porque eu não queria mais ter tantas necessidades.


E cansei de depender qual um bebê que não come,
não dorme, não descobre, 
nem aprende sem intervenção de alguém que o ame.


Foi porque pensei que era muito preciosa minha energia,
Para consumí-la com o que não tem solução.
E a vida que ainda me resta, precisava ser melhor.


Porque já não teria saúde para viver ansiosa,
tentando a todo tempo fazer-me entender para o mundo,
frustrando-me nas incompreensões.


Porque eu não suportaria seguir tão contrariada com o inevitável desencontro.
E já me exaurira buscando alívio à dureza no fôlego de outros.


Foi porque eu queria contar mais comigo,
fazer as pazes, me ajudar.
E também não aguentava mais amar de brincadeira,
amar de palavrinhas bonitas,
de beijos que desbotam na hora seguinte,
na hora de respeitar, de aceitar, de aquietar.
Farta de emoções em bolinhas de sabão,
Amor de efemeridades que não suportam o silêncio do outro,
A contrariedade, a insegurança.


Foi porque eu desejei amar melhor, mas me custando menos.
Torturando-me menos.


Foi porque eu tive coragem para abrir os olhos.
Decidindo pelo esforço e adiando a recompensa,
lancei-me à luta da vida real,
ela com as dificuldades todas e prazeres todos.


E assim foi possível sorrir pro verdadeiro,
e chorar tudo que vier, sofrer o que tiver,
gozar o que há para o dia, criar o que puder, realizar o que quiser.
Aceitar.


Sei que quando o fiz, todos à minha volta foram beneficiados.


Mas não foi por ninguém, foi por mim.


Foi pra ser mais feliz que eu mudei.




*

Nenhum comentário: